image

Sou do tempo que quando policiais de plantão queriam comer alguma coisa diferente no serviço, eles faziam uma vaquinha para mandar um motoboy trazer uma pizza. Agora, a PM do Cabral tá tão bem servida que os caras tão variando muito mais o cardápio e ainda mandam trazer o lanche de taxi, no maior conforto. E você aí achando que eles estavam na pior…

Agora falando sério sobre o projeto de Pattyficação da #MariaUPPPatrícia Alves, 23 anos, pernambucana e moradora do Rio desde os 15. Ela está sendo demonizada por ser bem resolvida com seu fetiche sexual e conseguir satisfazer o seu tesão, mas NÃO FEZ NADA ERRADO. Ela sabe que pode, sim, transar com quantos caras quiser, PMs ou não. Tanto que se mostra na entrevista muito tranquila com a repercussão do caso.

O que não pode são estes mais de 1000 Policiais Militares, de todas as UPPs do Estado - isso mesmo, pois a própria Patty diz ter visitado cada uma das unidades para testar a estrutura oferecida - promoverem orgias em horário de trabalho, quando deveriam estar garantindo a segurança da população, serviço para o qual foram treinados e contratados pelo Estado. É pra isso que todos nós pagamos o salário deles, não para organizarem surubas dentro duma Base Militar chamada de Unidade de Polícia Pacificadora mas que nos últimos 5 anos - tempo em que a Musa dos PMs diz estar fazendo este trabalho voluntário de fornecimento de filé (Friboi?) delivery - tem servido de motel exclusivo para PMs.

Então quer dizer que a gente paga quase R$ 1 bilhão por ano para construção e manutenção das UPPs para no final das contas esses PMs nos foder? Sim, pois todas as pesquisas mais recentes sobre violência urbana apontam aumento da maioria dos índices de criminalidade no Estado. Claro, enquanto eles estão promovendo a Pattyficação, a gatunagem fica solta e vem pra cima a mão armada e pau duro. Aí fica mais fácil entender o motivo da sensação enorme de falta de segurança: não tem segurança. O risco de ser assaltado, assassinado ou estuprado/a nunca foi tão alto desde a implantação do projeto de polícia pacificadora.

E diziam que a culpa era das manifestações que ocupavam o efetivo das UPPs no controle dos “vândalos” nas ruas… Sei bem… Conversinha pra corna dormir enquanto os Papa Mike tudo brincavam de jogar pau nos buracos da Patty e doutras Marias-farda - não perdoaram nem uma perneta.

Enfim, acho muito bom que todos estes PMs - e até delegados da Civil que fiquei sabendo - serem identificados e punidos pelos crimes que cometeram, inclusive por divulgarem fotos e vídeos da Patrícia, provavelmente sem o consentimento dela, para aprenderem a não gozarem com o dinheiro do povo do Rio de Janeiro. Quer jantar fora, Papa Mike? Espera a folga e aluga um quarto num motel, porra!

Abaixo o vídeo com a entrevista exclusiva que Patrícia Alves, a Maria UPP, concedeu ao programa Cidade Alerta, da Rede Record:

Lua de Sangue.

Traçado da Linha 4 do Metrô Rio

Trem Bala ligando Rio-São Paulo-Campinas:
Orçamento - R$ 30 bi
Traçado Total - 528 km
Ou seja: R$ 57 mi/km

Linha 4 do Metrô Rio ligando as estações Ipanema/General Osório a Barra/Jardim Oceânico:
Orçamento Inicial: R$ 5 bi
Orçamento Atualizado (2014): R$ 13 bi
Traçado: 16 km
Ou seja: R$ 812,5 mi/km

Agora, apenas pra provocar: qualquer especialista em trem bala no mundo diria que o custo de 57 milhões de reais por quilômetro é um preço caro demais para qualquer país sério. E estamos falando de trem bala! Então você imagina um custo de R$ 812,5 milhões de reais por quilômetro numa linha de metro… Só num Estado onde o governador vai de casa para o trabalho usando um helicóptero.

O post inspiração foi este do deputado estadual Marcelo Freixo: